Auto aceitação, mulheres reais e low carb - Marci Marciano | Consultora de moda

Auto aceitação, mulheres reais e low carb

Ontem falei aqui sobre como me desafio a usar certos looks e mostrar partes do meu corpo que sempre tentei esconder.
Por isso quis dividir com vocês algo que vem passando pela minha cabeça há um tempo e se acontece comigo deve acontecer com vocês também e talvez possamos nos ajudar.
Sempre lutei contra o excesso de peso, sofri bullying na infância por ser gordinha, tanto nas escola quanto de parte da família, sempre fui cobrada para estar bonita e na época que cresci ser gordinha era sinônimo de ser feia, então nunca me senti confortável com meu corpo, e sempre estou fazendo dieta no intuito de alcançar um corpo que me faça sentir em paz.
Mas sabe o que é pior? Não faço a mínima ideia de qual corpo seria este que me traria esta paz interior! Não consigo me imaginar com pernas finas e com quadris pequenos, acho que ficaria feia, estranha e não seria eu mesma senão for curvilínea, mas também não sou feliz assim.
Nos últimos anos percebi que as mulheres com os corpos que mais admiro são mulheres com a silhueta mais parecida com a minha, tipo JLo, Kardashians, Iskra Lawrence, então percebi que gosto do meu corpo, gosto da minha silhueta, mas o quê falta é ter aquela barriga um pouco menorzinha, ter um corpo mas “sequinho” e ainda sigo na insatisfação.
Ano passado cheguei em um peso que me sentia confortável, os tão maravilhosos 58kgs, mas ainda me sentia gorda, porque me comparava com as mulheres com menos curvas, principalmente com influenciadoras com quadris de 2 dígitos falando que tem quadris largos e coxas grossas, sendo que são consideradas magras, e aí onde eu fico nesta história? Mesmo com 58 kgs tenho mais que 100 cm de quadril, (hoje estou pesando 65kg e não faço ideia de quanto meu quadril mede), não consigo emagrecer mais que isso, até porque mal consigo manter os 58 por um ano imagine pesar menos!
Por mais que admire curvas em outras pessoas me aceitar assim é difícil, então vi que uma amiga conseguiu perder muito peso e fui atrás da mesma dieta que ela fez e teve tanto sucesso, até que conheci a low carb.
Comecei a dieta com o intuito de eliminar este peso extra que me incomoda, mas estou há 4 meses na dieta e nada, a cada deslize meu (que acontece sempre rs) meu peso oscila, pode comer muito coisa gostosa e minha dificuldade é não comer fora de hora, e não fazer dieta restritiva, então o saldo de peso em 4 meses foram 2 kgs a menos, quando o que eu queria eram uns 6 kgs a menos.
Por mais que eu não seja gorda (e nem magra rs) sou compulsiva por comida, como quando estou feliz, como quando estou triste e principalmente quando estou entediada e isso acontece muito!
Quando termino meu trabalho e estou livre, a primeira coisa que eu penso é em comer, e muitas vezes sem fome, e nenhuma dieta tem efeito se você como sem fome!
E por quê continuo nesta dieta tão restritiva e que não me traz resultados? Porque mudou minha vida! Sofro de enxaqueca forte há 2 anos, minha alimentação era bem restrita, não podia comer chocolate, embutidos, molhos, tomar refrigerante e vinho, isso são só alguns exemplos, e cortando os alimentos que a low carb aconselha, posso comer tudo isso, então prefiro não comer pão, batata, arroz, entre outras coisas, e me ver livre da enxaqueca e de outras doenças, do que comer de tudo e não poder me deliciar com um bom vinho de vez em quando.
Mas tenho vivido um empasse, acredito de coração que todo mundo tem que se aceitar como é, que todos os corpos são perfeitos como são, que ninguém deve ser escrava dos padrões impostos pela mídia e principalmente que todo mundo pode usar aquilo que tem vontade, mas não consigo imprimir isso na minha vida!
Não me acho gorda, mas não me acho magra e ainda acho que preciso ser magra pra ser feliz e ter paz comigo mesma, ainda acho que preciso da barriga da Iskra Lawrence pra me sentir confortável vestindo uma saia lápis, quero usar uma camiseta cropped e ter conforto mostrando minha barriga, vocês entendem onde quero chegar?
Quero falar pra vocês que tudo bem usar aquilo que você tem vontade com o corpo que você tem e me sentir assim também, que isso seja uma verdade na minha vida e não só um conselho que dou pra vocês. Quero tanto me aceitar assim com meus quilos a mais, me sentir confortável e ainda continuar buscando o corpo que desejo, acho que não tem mal algum buscar algo que desejamos, mas ainda assim quero me sentir confortável na minha própria pele.
E a valorização da mulher real tem me ajudado muito, mas tenho uma opinião um pouco controversa sobre isso. Mulheres magras são reais também, claro que são, mas mulheres que só aparecem montadas, perfeitas, maquiadas e penteadas como muitas blogueiras por aí não são reais e acabam se apropriando do termo para se definirem a acabam vendendo a imagem de que um visual impecável é o real sendo que não é.
A mulher real pode se arrumar, mas também mostra sua vulnerabilidade, mostra como é na vida real, certo?
Enfim, muitas mulheres reais tem me ajudado neste meu processo, fiz novas amigas que quero citar que são a Camila Ticiane e a Natália Blima, mulheres cheias de curvas, inteligentes e que se aceitam como são e usam aquilo que tem vontade. Meu objetivo? Ser como elas e continuar buscando meu melhor.
A auto aceitação é um trabalho árduo e diário que venho fazendo e quis dividir isso com vocês.
E me contem qual a relação de vocês com auto imagem?
Beijos e bom final de semana!

0 comments
1 like
« Look meia estação: ListrasComo usar branco »

Related posts

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marci Marciano

"Vejo a moda como a principal ferramenta para expressar aquilo que somos e elevar a auto estima."

Últimos Posts
Facebook
Mais Lidos
Último Vídeo
Arquivo
Newsletter