Magreza não é sinônimo de sucesso | Marci Marciano | Consultora de moda

Magreza não é sinônimo de sucesso

Vamos lá, desde que me conheço por gente me foi colocado um padrão de beleza, que só as meninas magras são bonitas e eu tinha que ser bonita.
Sou uma mistura de portugueses, italianos e africanos, tenho a pele clara pra ser negra e escura pra ser branca, mas nada de anormal no Brasil, apesar de que me sinto muito mais identificação as latinas que com as brasileiras, já que aqui, a beleza nórdica é a mais valorizada.

 

Aprendi cedo a amar minha pele morena, apesar de várias pessoas, inclusive da família, falarem que minha cor é errada, feia, mas isso nunca me incomodou. Alisei os cabelos, mas as curvas do meu corpo sempre me fizeram sentir insegura, imprópria, menos que as outras mulheres.
A história da minha vida é cheia de superação e resiliência, mesmo que a duras penas sempre consegui alcançar meus objetivos, mas ser magra sempre foi a pedra no meu sapato.

 

Como já contei aqui, achava que só seria feliz se tivesse quadris estreitos e pernas finas, mas recentemente descobri que minha busca é pela auto aceitação e por me sentir confortável na minha própria pele.
Nesta busca por me reconectar com meus sentimentos, fiz uma retrospectiva da minha vida e notei um padrão. Todas as vezes que alcancei algo importante, estava acima do peso. Quando conheci meu marido estava numa fase na qual trabalhava muito e descontava na comida, foi a época que deixei meu corpo de lado, e cheguei ao máximo que já pesei, e isso não foi um impeditivo pra nos apaixonarmos e sermos felizes. Quando casamos entrei na paranóia de dieta e exercícios pra ser uma noiva magra, nessa fiquei com anemia e tive que retornar ao meu peso inicial, resultado? Casei com uns quilinhos a mais. O mundo não acabou, fui uma noiva linda, feliz e realizada.
Chegamos ao momento atual, faz 2 anos que tenho blog e instagram, comecei falando minha verdade até que tentei me enquadrar em um padrão. Fiz dieta, mudei os cabelos, mudei meu tom, tudo porque queria ser reconhecida pelo meu trabalho, mas acabei me perdendo, esqueci que a vida acontece e que temos que trabalhar com as adversidades e este sucesso não vinha, não acontecia.

 

Até que ouvi da minha psicóloga que precisava me abrir para as pessoas, na época não consegui assimilar esta frase.
Voltei de férias, fui ao fundo do poço, principalmente porque não sabia qual caminho percorrer, comecei a ganhar mais peso e a me sentir cada vez mais infeliz com meu corpo, uma fracassada, porque não tinha controle sobre a comida. Neste momento percebi que precisava resgatar quem sou, meus objetivos e mostrar minha verdade, independente do que vão achar de mim. E acreditem, em pouco tempo o Universo me recompensou com oportunidades que sempre almejei. Tudo isso sendo eu mesma e acima do peso.
Cada recado, comentário, mensagem e e-mail que recebo, falando que se identificam com minha caminhada, é a recompensa que sempre quis. Fazer com que as pessoas se sintam confortáveis sendo elas mesmas é o maior presente que a vida poderia me dar, e isso pra mim é muito mais sucesso do que ser magra.
Ainda tenho medo de não recuperar o corpo que eu tinha, mas aceito o que tenho hoje e faço o que está ao meu alcance pra me sentir melhor.

 

Somos muito mais que um corpo, somos energia, e principalmente aquilo que passamos para o outro, então decidi ser minha melhor versão, e me preocupar com o que transmito para as pessoas e não no que elas vão pensar de mim.

2 comments
1 like
« Looks de CarnavalColeção Pernambucanas: Outono – Inverno 18 »

Comentários

  • Vivian parreiras

    22 de Fevereiro de 2018 em 16:06
    Responder

    É isso aí menina! Estou adorando ler estes posters, pois me identifico com você. Continua que estou lendo e está me ajudando muito! Obrigada!

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marci Marciano

"Vejo a moda como a principal ferramenta para expressar aquilo que somos e elevar a auto estima."

Últimos Posts
Facebook
Mais Lidos
Arquivo